Duzentos anos do Museu Nacional em imagens no Museu do Ingá

“São Cristóvão: imagens do Palácio”, exposição temporária organizada pela Casa da Marquesa de Santos, em exibição, até 2 de setembro, no Museu do Ingá, em Niterói, celebra os 200 anos do Museu Nacional, a mais antiga instituição cientifica brasileira, que desde 1892 ocupa o antigo Palácio Imperial, na Quinta da Boa Vista. Tanto a Casa da Marquesa de Santos quanto o Museu do Ingá são espaços da Secretaria de Estado de Cultura/FUNARJ.

A mostra reúne 16 pinturas, desenhos e fotografias do século XIX, material produzido por conceituados artistas e viajantes europeus, como Debret, Hypolitte Taunay, Thomas Ender, Rugendas, Victor Frond e Martinet. O percurso é finalizado por uma fotografia área da Quinta da Boa Vista no século XX.

As obras pertencem às coleções da Casa da Marquesa de Santos, do Museu do Ingá e do Banerj e oferecem a oportunidade de se contemplar o Palácio Cristóvão e suas transformações ao longo do século XIX, especialmente sua expansão e as alterações feitas em função das necessidades, dos interesses e do gosto do aparato real.

Essas transformações têm como inspiração as quatro fases do palácio, como retratadas na gravura Melhoramentos progressivos do Palácio de São Cristóvão, do artista francês Jean-Baptiste Debret, parte dos três volumes do livro Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, publicados entre 1834 e 1839.

A proposta curatorial concentrou-se no século XIX, período em que o edifício serviu de residência das famílias real portuguesa e imperial brasileira, por entender que a visita ao Museu Nacional é insubstituível, tanto aos espaços expositivos quanto a seus jardins.

A exposição está na galeria de mostras temporárias do Museu do Ingá, e pode ser vista até 2 de setembro, de quarta a domingo, das 12h às17h. A entrada é gratuita.