NULL Museu Carmen Miranda | FUNARJ
Governo do Estado do Rio de Janeiro

Museu Carmen Miranda

O Museu Carmen Miranda foi criado oficialmente em 1956, porém sua inauguração só ocorreu vinte anos mais tarde, em 05 de agosto de 1976. A criação do museu foi uma resposta aos milhares de admiradores de Carmen Miranda, sobretudo estrangeiros, que desejavam um espaço para a preservação da memória da Pequena Notável, um dos mitos da Música Popular Brasileira. O acervo é composto, sobretudo, por pertences da artista, doados pela família após sua morte, em 1955, principalmente por sua irmã Aurora Miranda e seu viúvo David Alfred Sebastian.

São 3.348 itens, sendo 1391 fotografias e 461 peças de indumentárias, entre elas 220 bijuterias, 11 trajes completos de shows e filmes, 08 cintos, 05 bolsas, 27 pares de sapatos e 38 turbantes. Além dos famosos balangandãs, destacam-se a saia usada em seu show de estreia na Broadway; o turbante com que se casou e alguns trajes completos, como o que vestiu no dia em que foi homenageada na Calçada da Fama e o de seu último show, na véspera de sua morte.

O museu guarda, também, uma expressiva documentação bibliográfica e iconográfica: caricaturas originais, roteiros de filmes com anotações feitas por Carmen, fotografias, cartazes, troféus, partituras, programas e agradecimentos. Além de cinco mil recortes de jornais e revistas que relatam os acontecimentos históricos da Embaixatriz do Samba. Este espaço pertence à FUNARJ / Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro, vinculada à Secretaria do Estado de Cultura.

O museu foi fechado para visitação em 2013 e vem atendendo apenas a pesquisadores. Seu acervo está em preparação para ir para o novo Museu da Imagem e do Som (MIS), em Copacabana. Enquanto isso, o museu passou a se concentrar em atividades técnicas no que tange à conservação, catalogação, seleção, documentação e digitalização do acervo.

Direção: César Soares Balbi

Histórico Informações Endereço