Exposição “CARYBÉ e os múltiplos índios” abre ao público no Museu do Ingá

Foi aberta ao público, no Museu do Ingá, em Niterói, a exposição “CARYBÉ e os múltiplos índios”, que traz, pela primeira vez após o restauro pelo Laboratório de Conservação da Secretaria de Cultura, LACON, os doze painéis horizontais e verticais (formando um políptico de 395 cm x 475 cm), óleo sobre madeira (1965), intitulado “Embarcações com índios”, de Hector Júlio Páride Bernabó, que integra o acervo de quase novecentas peças que compõem a Coleção BANERJ.

Criada pelo artista plástico argentino, naturalizado brasileiro, a obra é composta de 12 painéis a óleo/madeira que, juntos, perfazem uma área de 18m². Esse trabalho foi encomendado ao artista pelo Banco do Estado do Rio de Janeiro, para decorar a agência da Rua da Quitanda, no Rio de Janeiro.

A esta representação se juntam mais de 20 objetos utilitários e de arte indígenas das tribos Tupi Gurani, Karajá, Kaiapó, Katiana, Maracé e Tapajós, procedentes dos estados de Goiás, Tocantins, Amapá, Maranhão e Mato Grosso.

Passeamos também pela era pré-cabralina, com a arte das urnas funerárias e vasos do grupo indígena Maracá, que viveu há mais de 2.000 anos nas terras do Amapá, com nítida influência Inca e Maia.