Teatro Glaucio Gill
Teatro Glaucio Gill

Localizado em Copacabana, o Teatro Glaucio Gill é um núcleo de experimentação referência para atores e companhias iniciantes, além de um teatro de muita história. Espaço versátil, acolhe múltiplas propostas. Localizado na Praça Cardeal Arcoverde, em Copacabana, foi criado a partir da adaptação do auditório do Centro de Recreação e Cultura da Escola Municipal Dom Aquino Correa, anexa ao teatro.

Possui um espaço principal com 150 lugares, e o “Café do Glaucio”, uma pequena sala com 23 lugares.

Em 2010, passou por uma reforma que, entre outras melhorias, transformou o antigo palco italiano num espaço multiuso.

 

tgg

 

Histórico

Inaugurado em 1958, durante o governo Carlos Lacerda, o Teatro Glaucio Gill foi criado a partir de uma sessão no auditório do Centro de Recreação e Cultura da Escola Municipal Dom Aquino Correa. A reunião foi promovida por atores do Tablado que ocupavam o auditório da escola, entre eles Adila Araújo, Carmen Silvia Murgel, Fábio Sabag, Isolda de Souza, Kalma Murtinho e Cláudio Correa e Castro.

Tendo o ator Rogério Fróes como primeiro diretor, o espaço foi batizado de Teatro da Praça por causa da localização na Praça Cardeal Arcoverde, em Copacabana. A estreia foi marcada pela encenação da peça infantil O bobo bobão, de Lígia Nunes, com direção de Fábio Sabag e elenco formado pelos atores Cláudio Correa e Castro, Roberto de Cleto, Roberto Ribeiro e convidados.

A abertura da programação dos espetáculos adultos aconteceu em junho de 1958, com O chapéu de palha de Itália, de Euggene Labiche, dirigido por Geraldo Queiroz, cenários de Bela Paes Leme e com 48 atores no elenco - incluindo os artistas do grupo Teatro da Praça, fundador do espaço, que encerrou as atividades em 1961.

Em 1965, o governador Carlos Lacerda cedeu o teatro à atriz Maria Fernanda - filha da poetisa Cecília Meireles – que, auxiliada pela administração regional e outros órgãos governamentais, conseguiu realizar uma série de reformas. Neste mesmo ano o espaço recebeu o nome de Teatro Glaucio Gill, em homenagem ao ator e autor teatral que morreu precocemente aos 33 anos.

Durante a década de 1960, o então Chefe do Serviço de Teatro, Dr. Napoleão Moniz Freire, elaborou novos critérios de seleção para atender às diversas solicitações de pauta. Passaram a ocorrer sorteios entre as companhias teatrais da época, levando-se em consideração as condições estruturais e a utilização de textos brasileiros no repertório.

Desta forma, companhias como Torres e Brito Produções, Tereza Raquel e Eva Todor puderam encenar no palco do teatro espetáculos inesquecíveis como Navalha na carne, com Tônia Carrero, Emiliano Queiroz e Nelson Xavier;; O exercício, com Glauce Rocha e Rubens de Falco;; Réveillon com Fernanda Montenegro e Sérgio Brito;; Senhora da Boca do Lixo, com Eva Todor, Carlos Eduardo Dolabela, Elza Gomes e Ivone Hoffman; Heda Gabler, com Dina Sfat e Cláudio Marzo; Mão na luva, com Marco Nanini e Juliana Carneiro da Cunha, entre outros.

Em janeiro de 1987, o Teatro Glaucio Gill foi fechado para uma obra de restauração que acabou se alongando. A classe artística e diversos movimentos sociais, então, se mobilizaram pela sua reativação.  As obras foram concluídas e o teatro totalmente remodelado. Sua estrutura de palco italiano foi desativada, sua lotação foi reduzida. Foram criados urdimentos e plateias móveis para acolher espetáculos com propostas multiambientais. A reabertura aconteceu em 27 de outubro de 1990, no governo Moreira Franco, sob direção cultural de Aderbal Freire Filho, que trouxe para o local o Centro de Demolição e Construção do Espetáculo, promovendo montagens e oficinas de Eugênio Barba.

Com uma programação diversificada e qualificada, pretendia atrair para o teatro público de diferentes bairros, idades e classe social. Além das atividades culturais, o grupo trabalhava sempre com a contrapartida para formação de platéia e espaço para ouvir o espectador recebendo sugestões e opiniões.

Hoje parte da estrutura da FUNARJ, segue uma política pública de ocupação cultural, recebendo uma programação artística contínua e diversificada, viabilizada por meio de Chamadas Públicas semestrais .

 

 

Redes Sociais

https://web.facebook.com/teatroglauciogill?_rdc=1&_rdr

 

Informações

CONTATO

Telefone: +55 21 2332 7904 (bilheteria) / +55 21 2332 7970 (administração)

Horário de funcionamento da bilheteria
De segunda a domingo, das 16h às 21h

Lotação
150 lugares (teatro)

COMO CHEGAR

Metrô
Siqueira Campos/  Cardeal ArcoVerde

Informações Técnicas:

Metragem Interna 774 m²

Metragem Externa 56 m²

 

Endereço

https://www.google.com/maps?ll=-22.9652,-43.180818&z=16&t=m&hl=pt-BR&gl=BR&mapclient=embed&cid=11981219218932350740