Aclamado tenor brasileiro Atalla Ayan se apresenta na Sala Cecília Meireles

Música

Aclamado em grandes teatros ao redor do mundo, o tenor brasileiro Atalla Ayan rapidamente se estabeleceu como um dos tenores mais prestigiados de sua geração.

O tenor brasileiro Atalla Ayan rapidamente se estabeleceu como um dos tenores mais prestigiados de sua geração. Em julho de 2011, Ayan fez seu debut surpresa com a Metropolitan Opera, cantando cinco árias na abertura do Summer Concert no Central Park, tendo sido convidado com menos de 24 horas antes do espetáculo. Sobre Ayan, Allan Kozinn, do New York Times, disse: “ele é um achado; possui um tom caloroso e coeso, qualidade que faz lembrar o jovem Placido Domingo”.

Nascido em Belém, Ayan desenvolveu seu amor pelo canto ouvindo gravações de Luciano Pavarotti. Na adolescência, foi aceito no Conservatório Carlos Gomes, em Belém. Ayan interpretou seu primeiro grande papel aos 21 anos, aparecendo como Rinuccio em Gianni Schicchi no Theatro da Paz, em Belém. Seu debut europeu ocorreu um ano depois, como Rodolfo em La Bohème, que teve produção de Graham Vick. Nesse mesmo ano, o tenor foi aceito na Scuola della Opera Italiana, em Bologna, onde permaneceu por uma temporada. Durante seus anos em Bologna, Ayan apareceu no Teatro Comunal como Ruggero em apresentações de La Rondine, sob regência de José Cura. Na temporada 2009/2010, Ayan se tornou membro do Programa de Desenvolvimento de Jovens Artistas da Metropolitan Opera.

Ayan tem sido igualmente aclamado em grandes teatros ao redor do mundo, incluindo a Royal Opera House – Covent Garden, Grand Théâtre de Genève e a Deutsch Oper Berlin. Membro do Stuttgart Opera Ensemble desde a primavera de 2012, Ayan interpretou Rodolfo, na nova produção de La Bohème, Alfredo em La Traviata, Don Ottavio em Don Giovanni, Ismaele em Nabuco, e Fenton em Falstaff durante a temporada de 2013/2014.

Priscila Bomfim iniciou seus estudos musicais em Portugal, onde venceu seu primeiro concurso de piano aos nove anos de idade. Graduou-se em piano com a distinção Summa cum Laude na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e é Mestre em piano, tendo defendido o tema sobre Estratégias de Leitura à Primeira Vista. Graduou-se também em Regência Orquestral, na classe do Prof. Ernani Aguiar.

Priscila é pianista do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde trabalhou como maestrina assistente do Coro e atualmente é Maestrina Preparadora da Academia de Ópera Bidu Sayão, orientando jovens cantores solistas. Foi a primeira mulher a reger uma ópera da temporada do Theatro – a ópera Serse, de Handel, com elenco da Academia de Ópera e com a Orquestra Sinfônica da UFRJ, em 2016. No mesmo Theatro coordenou e dirigiu o Projeto “Ópera do Meio-Dia” durante o ano 2015.

Elenco Quando Ingressos Endereço