Grupo de choro Galo Preto reabre Teatro João Caetano

Música

Pioneiro na renovação do choro, o grupo Galo Preto marca seus 45 anos de atividade reabrindo para o público o Teatro João Caetano, espaço da FUNARJ no Centro do Rio de Janeiro.

Formado por Afonso Machado (bandolim, arranjos e direção musical), Alexandre Paiva (cavaquinho), José Maria Braga (flauta), Tiago Machado (violão e arranjos), Diego Zangado (bateria e percussão) e Zé Luis Maia (baixo), o grupo se apresenta nos dias 20, 21, 27 e 28 de novembro, sempre às 19h, com ingressos a R$ 10,00.

Neste espetáculo, comemorativo dos seus 45 anos de existência, o Galo pretende mostrar um pouco de sua trajetória, interpretando músicas de compositores com quem teve a honra de trabalhar, como Bororó, Claudionor Cruz, Cartola, Nelson Cavaquinho, Elton Medeiros, Délcio Carvalho e Nelson Sargento, entre outros.

A convidada de honra é Clarisse Grova, cantora de vasta experiência, linda voz e técnica apuradíssima, também compositora e professora de canto das mais festejadas, que apresentará também, músicas do lindo CD “QUE TAL?”, que ela gravou em parceria com Afonso Machado, e que conta apenas com composições do próprio.

O Galo Preto surgiu em 1975, quando o Choro vivia uma época de profundo ostracismo, marcando de forma definitiva sua importância no cenário musical pela coerência de não abrir mão das suas marcas registradas: a rara e belíssima sonoridade embalada pelo inconfundível balanço que tanto enriquecem a interpretação do seu originalíssimo repertório e a incessante preocupação com a renovação do “choro”, haja visto a quantidade de compositores que, embora não se caracterizassem como chorões na percepção do grande público, foram também assim valorizados e trazidos à tona pelas gravações do conjunto.

O Galo Preto também é considerado um dos melhores conjuntos de acompanhamento, já tendo trabalhado com mais de 80 dos mais importantes intérpretes da música brasileira, como Elza Soares, Miúcha e Ademilde Fonseca.

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro João Caetano ou no site da Sympla, A bilheteria funciona de terça a sexta, de 13h às 19h. Sábados, de 15h às 18h. Feriados, de 15h às 18h. Em dias de espetáculo a bilheteria funciona até o início da apresentação.

O Teatro João Caetano reabre seguindo as normas do rigoroso Protocolo de Segurança Sanitária da FUNARJ.
O protocolo passou a ser adotado, via decreto, pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, e a FUNARJ vem, desde então, adaptando seus espaços às normas previstas pelo documento e treinando sua equipe quanto aos procedimentos necessários, no que diz respeito a funcionários, produtores, atores, equipamentos e plateia.

Dentre várias providências, essas medidas incluem a instalação de filtros Hepa (High Efficiency Particulate Air) em todos os equipamentos de refrigeração de seus espaços culturais, os mesmos recomendados para uso em hospitais, laboratórios, nas indústrias farmacêutica e alimentícia e em cabines de segurança biológica.

A abertura do teatro para a entrada de público se dá 30 minutos antes do início do espetáculo.

Acesso à sala de espetáculos: 15 minutos após a abertura do teatro.

O uso de máscaras é obrigatório durante toda a permanência no Teatro João Caetano. Não é permitida a entrada após o início do show.

Compre seu ingresso com antecedência online, imprima-o em casa ou traga-o no aplicativo para celular. Caso não seja possível, pague o ingresso na bilheteria preferencialmente com cartão de crédito ou de débito.

Autoria: Alexandre Paiva

Direção: Alexandre Paiva

Elenco: Afonso Machado (bandolim, arranjos e direção musical), Alexandre Paiva (cavaquinho), José Maria Braga (flauta), Tiago Machado (violão e arranjos), Diego Zangado (bateria e percussão) e Zé Luis Maia (baixo). Convidada especial: Clarisse Grova (voz)

Dias da semana: Sexta, Sábado

Elenco Quando Ingressos Endereço