Os jogos de poder de “Jacques e a Revolução” no Teatro Glaucio Gill

Comédia Dramática

Inspiradíssima comédia dramática, com tintas fortes e diálogos que flertam com a condição humana contemporânea, num mundo atravessado por subornos, apropriação indébita de capital público, zero apreço pelo cidadão, luta das mulheres e intolerância cultural.

A peça traz em sua narrativa uma arquitetura dramatúrgica que alinha tirania, manipulação, jogos de poder.

Sedução e sexo recheiam os diálogos de Jacques, um empregado de segundo escalão, e seu patrão, o Empresário. De conversa em conversa, qualquer sentido de moral desaparece. Jacques conta suas proezas e aprende/ensina com o Empresário.

A história, que se passa sem definição de lugar e tempo, poderia ser no Planalto Central, numa empresa pública, agronegócio, enfim, na vida real.Somos surpreendidos pela forma vigorosa e desconcertante como se desenvolve a conversa entre Jacques e seu patrão, entremeada sempre de sucessivas histórias que relatam um para o outro.

Autoria: Ronaldo Lima Lins

Direção: Theotonio de Paiva

Elenco: Abílio Ramos, Katia Iunes, Marco Aurélio Hamellin e Patrícia Bello

Dias da semana: Sexta, Sábado, Domingo, Segunda

Elenco Quando Ingressos Endereço