“Borboleta Amarela”, uma viagem do corpo nômade feminino no Teatro Arthur Azevedo

Dança

Borboleta é metamorfose, é mudança e liberdade. Ser borboleta é ser um espírito livre que anda dançando pelos caminhos da vida e aprende e se transforma a cada pouso, levando as experiências de flor em flor, no fluxo, num contínuo de idas e vindas.

"Borboleta Amarela" é uma performance de dança que dialoga entre tradição e contemporaneidade, entre sagrado e profano, entre corpos e lugares, construindo uma história contada por movimentos e pulsações de um “corpo nômade”, múltiplo, em contínua transformação.

O símbolo da borboleta junta-se aos universos do Candomblé e da dança dos Orixás femininos, mistura-se com o mundo do samba carioca e do carnaval, acolhe símbolos do universo árabe e cigano, reformulando-se em uma dança que inclui uma gestualidade própria contemporânea, representando a mulher em seus vários momentos, com suas lutas, seus sofrimentos e alegrias, seus ritos e fé, seus desafios e seus encantos, seus corpos universais que atravessam oceanos e fronteiras.

Inspirada pelas deusas que vivem dentro de cada mulher, que expressam seu encanto e beleza, sua força e poder, Borboleta Amarela é uma viagem pelas várias migrações na vida das mulheres, entre momentos de fé, de dor, de loucura, de brilho e de paz.

Autoria: Fabiana Erama

Direção: Juliana Manhães

Elenco: Fabiana Erama

Dias da semana: Domingo

Elenco Quando Ingressos Endereço