Clássico de Nelson Rodrigues em temporada no Teatro Glaucio Gill

Drama

Sônia, personagem de Nelson Rodrigues no monólogo Valsa nº 6, escrito em 1951, foi assassinada aos 15 anos. Em cena, ela tenta se lembrar do que aconteceu e, aos poucos, vai reconstruindo suas memórias.

Na montagem da Cia Teatro Portátil, Sônia é uma boneca.

A linguagem de animação, que permeia a trajetória da companhia, destaca a poesia presente no texto. “Nelson foi um inventor de linguagem e merece ser tratado como tal”, afirma Alexandre Boccanera. A proposta de encenação busca valorizar a essência do texto, já que “a peça tem o formato de um poema dramático”, conclui o diretor.

Em cena Julia Schaeffer, Ana Moura e Guilherme Miranda (que também assina a direção musical) manipulam a protagonista: a boneca Sônia. Sem descaracterizar o monólogo, que é levado ao palco na íntegra, ela contracena com seus manipuladores para dar vida a este universo poético.

Um piano fragmentado e projeções de desenhos animados compõem o cenário de memórias da personagem que busca remontar a sua história. As memórias de Sônia são projetadas em filmes de animação, criação da dupla de animadores Beatriz Carvalho e Diogo Nii Cavalcanti.

A proposta é trabalhar com diferentes dimensões narrativas e metafóricas, reais e fictícias, presentes na peça. “É uma experiência estética muito especial”, define o diretor.

Autoria: Nelson Rodrigues

Direção: Alexandre Boccanera

Elenco: Ana Moura, Flávia Reis, Júlia Schaeffer e Guilherme Miranda

Dias da semana: Quinta, Sexta

Elenco Quando Ingressos Endereço