“Olho Nu” discute Hip Hop e fragilidade no Teatro Arthur Azevedo

Dança

Apresentado no Brasil, na França e em Portugal, "Olho Nu" foi eleito pelo jornal O Globo um dos melhores espetáculos de dança de 2014.

Terceira e última parte da trilogia que discute Hip Hop e fragilidade, “Olho Nu” não se pretende um fechamento. Ao contrário, essa nova pesquisa trouxe muitas questões. Entre elas, uma que se impôs de modo fundamental: que ideias já foram esgotadas nesse processo, e quais necessitam de continuidade?

Ainda como mote, o desejo de desnudar o dançarino de rua, ressaltando as fragilidades deste corpo potente e, ao mesmo tempo, revelar todo o potencial criativo existente por trás destas fragilidades.

Uma vez mais, a repetição que busca transformação. Uma vez mais, a busca por formas de composição que extrapolem o lugar comum dessa técnica. Uma vez mais, alimentar a reflexão sobre este corpo que se atém no papel de entreter e atender expectativas daquele que assiste. Uma vez mais, oferecer ao expectador um olhar diverso e aproximado do universo Hip Hop e de sua dança. E, nesse caminho, seguir acompanhado/assombrado pela pergunta: como abordar de modo diferente as mesmas questões?

Autoria: Renato Cruz

Direção: Renato Cruz

Elenco: Jefte Francisco, Raphael Lima (Russo), Luciana Monnerat, Luciano Mendes (Duly Omega), Daniel Oliveira (Kiriku), Fábio de Andrade (Fábio Max), Marjory Lopes, Mailson Morais e Kapu Araujo

Dias da semana: Sexta, Sábado, Domingo

Elenco Quando Ingressos Endereço