Orchestre D’Auvergne faz o primeiro de três concertos na Sala Cecília Meireles

Música

Com regência de Roberto Forés Veses, a Orchestre D’Auvergne abre a sua turnê no Rio de Janeiro, dentro da série Missão Francesa na Sala da Sala Cecília Meireles, um espaço da Secretaria de Estado de Cultura e da FUNARJ, na sexta-feira, dia 1º de abril, às 20 horas, tendo como solista Gabriel Marin (viola). No programa, Bach (A arte da fuga, Contrapunctus XIV para cordas), João Guilherme Ripper (Concertino para viola e Orquestra de Cordas) e Alban Berg (Suíte Lírica). Este concerto faz parte da temporada artística da Sala Cecília Meireles 2015/2016 patrocinada pela PETROBRAS.

 

Com um  repertório que se estende desde a música barroca até compositores contemporâneos, a Orchestre d'Auvergne tem se destacado tanto como orquestra regional quanto como orquestra de câmara, participando de inúmeros festivais na Europa e ao redor do mundo. A Orquestra floresceu artisticamente em 1981 e consiste de 21 músicos internacionalmente recrutados pelos diretores musicais Jean-Jacques Kantorow e Arie van Beek. A fim de manter essa jornada por excelência, o jovem maestro espanhol Roberto Forés Veses foi nomeado regente e diretor artístico em 2012.

Até o dia 24 de março serão vendidas assinaturas para os três concertos da Orchestre D ‘Auvergne – R$ 90,00 e R$ 45,00 exclusivamente na bilheteria da sala, de segunda a sexta, de 13h às 18 h. Saiba mais sobre os próximos concertos:

Escort Bayanlar


TERCEIRO E ÚLTIMO CONCERTO DA ORCHESTRE D’AUVERGNE  NA SALA CECÍLIA MEIRELES VAI DE KARTLAG A BRAHMS

Nascido em Valência, Roberto Forés Veses estudou regência orquestral na Accademia Musicale Pescarese a na Sibelius Academy, em Helsink, onde concluiu seu mestrado sob a orientação de Leif Segerstam. Foi vencedor  da Competição de Regência Orvieto e premiado na prestigiosa Competição de Regência Evgeny Svetlanov. Dotado de uma versatilidade que lhe permite transitar facilmente entre o repertório sinfônico e operístico, Forés já conduziu entre outras óperas, Salomé, Don Pasquale, Cosi fan tutte e La Bohème e esteve à frente de orquestras como a Asturias Symphony Orchestra, a Orchestre National de Lyon e a St Petersbourg Symphony Orchestra.

 

Violista da OSUSP, Gabriel Marin foi também violista da Orquestra Sinfônica Municipal de SP e, durante 6 temporadas, atuou como primeiro viola solo da OSB. Foi premiado em diversos concursos, destacando-se o Prêmio Eleazar de Carvalho do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Foi músico da Orquestra Jovem das Américas, onde tocou ao lado de Gustavo Dudamel, Leonard Slatkin e Yo Yo Ma em turnês por 13 países das Américas. Atualmente, além da orquestra, é professor do Instituto Baccarelli e violista do Quarteto Carlos Gomes.

 

Orchestre d'Auvergne

Maud Lovett (spalla), Harumi Ventalon, Manuel Solans, Rodolphe Kovacs, Marta Petrlikova, Jean-Frédéric Tixier, Aurélie Chenille, Hélène Lenglart, Philippe Pierre, Raphaël Bernardeau, Robert McLeod, violinos Ralph Szigeti, Thérèse Lorrain, Isabelle Hernaïz, Cédric Holweg, violas

Jean-Marie Trotereau, Takashi Kondo, Guillaume Grosbard, Cathy Antoine Constantin, violoncelos

Patrick Hupin, Laurent Bécamel, contrabaixos.

 

Roberto Forés Veses, regência

Gabriel Marin, viola

 

Programa

 

Johann Sebastian Bach (arr. Kalevi Aho)

A Arte da Fuga

- Contrapunctus XIV para cordas

 

Joao Guilherme Ripper

Concertino para Viola e Orquestra de Cordas

 

[INTERVALO]

 

Alban Berg (arr. Theo Verbey)

Suíte Lírica

- Allegretto gioviale

- Andante amoroso

- Allegro misterioso

- Adagio appassionato

- Presto delirando, Tenebroso

- Largo desolato

Dias da semana: Sexta

Elenco Quando Ingressos Endereço