Orquestra Sinfônica da UFRJ toca Bach, Vivaldi, Rameau, Händel na Sala Cecília Meireles

Música

A orquestra celebra a música barroca neste concerto que traz obras de Vivaldi, Bach Rameau e Händel.

Fundada em 1924, como Orquestra do Instituto Nacional de Música, a Orquestra Sinfônica da UFRJ é a mais antiga do Rio de Janeiro, com uma trajetória de mais de 90 anos de atividades ininterruptas. É formada por músicos profissionais do quadro de técnicos da UFRJ e alunos dos cursos de graduação e pós-graduação da Escola de Música. Além de suas funções acadêmicas para a formação de novos instrumentistas, cantores, regentes e compositores, a orquestra se dedica à preservação da memória da música brasileira e ao repertório contemporâneo, já tendo realizado mais de uma centena de estreias de novas obras.

Felipe Prazeres iniciou seus estudos de violino aos onze anos. Graduou-se na UNIRIO, sob a orientação de Paulo Bosisio. Fez aperfeiçoamento na renomada Academia de Santa Cecilia, em Roma, na classe de Domenico Nordio. Obteve o primeiro lugar no Concurso Nacional de Cordas de Juiz de Fora, em 1997, e no Concurso Nacional de Música IBEU, em 1999. Atuou como solista com algumas das principais orquestras do Brasil, como a Petrobras Sinfônica, Sinfônica Brasileira, sinfônicas de Porto Alegre, Bahia e Espírito Santo e Sinfônica da UFRJ. Como regente, atua frequentemente com a Sinfônica da UFRJ, Petrobras Sinfônica, Sinfônica da Bahia e dirigiu concerto com a World Youth Symphony na Itália. É um dos fundadores e diretor artístico da orquestra Johann Sebastian Rio e um dos spallas da Sinfônica da UFRJ.

Elenco: Orquestra Sinfônica da UFRJ Felipe Prazeres, regência. Clara Albuquerque, contínuo

Dias da semana: Sexta

Elenco Quando Ingressos Endereço