Vem aí fase eliminatória do FestVilla

A Escola de Música Villa-Lobos, um espaço da Secretaria de Estado de Cultura/FUNARJ, realiza, de 24 a 27 de outubro, a fase Eliminatórias do FestVilla, o Festival da Canção da Escola de Música Villa-Lobos. As apresentações ocorrem no Auditório Guerra-Peixe da escola ( R. Ramalho Ortigão, 9 – Centro, Rio de Janeiro), sempre a partir das 18 horas.

O FestVilla é um festival de canções inéditas, em língua portuguesa, voltado para todos os gêneros e estilos musicais, e tem como objetivo promover o intercâmbio e a troca de experiências entre alunos e professores da Escola de Música Villa-Lobos, bem como divulgar novos compositores, poetas, intérpretes e arranjadores.

Nesta fase das Eliminatórias, concorrem 27 canções, todas compostas por alunos da Escola. As canções foram classificadas na fase anterior, denominada Passaporte, em que concorreram mais de 100 candidatos. Serão selecionadas 10 canções para serem apresentadas na grande final, programada para acontecer no Teatro João Caetano, no dia 21 de novembro.

Para as Eliminatórias, cada canção recebeu uma atenção especial de professores de prática de conjunto: Marcos Teixeira, Márcio Cebola, Luís Medina e Marcos Garrett. O diretor artístico do festival e professor de contrabaixo elétrico, Alexandre Magalhães, enumera as vantagens para o aluno participante:

– O aluno vai ver a música acontecendo na prática, desde a concepção, passando pela criação, o arranjo, até a coragem de enfrentar o palco e o público – explica. E ainda enaltece a iniciativa, que chega em quinze edições, das quais participou da produção de todas – O festival é importante para tornar a escola viva. Escola de música tem que fazer música.

O ex-aluno Thiago Gomes participou como contrabaixista em várias edições, atuando em apresentações vitoriosas como “Cabeça de rabo de camarão”, de Paulinho de Castro (melhor instrumentista, 2003), “Frevo prato feito”, de Marcos Tannuri, que deu o prêmio de melhor intérprete para cantora Val Coutinho, que hoje se apresenta em palcos italianos, e o terceiro lugar para a música “Vem” (2001), da compositora Débora Baldelli.

– Participar do FestVilla me mostrou como é fundamental esta integração e o reconhecimento por outros músicos, porque quem dá emprego pro músico é o próprio músico, através dos vários contatos que faz ao longo da carreira – diz. Thiago é graduado em Licenciatura em Violão pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e autor do livro “Vivendo de música”, que reúne depoimentos sobre a profissão com músicos como Roberto Menescal, Bia Bedran, Adriano Giffoni, dentre vários.